Skip to content

Quem somos

PLATAFORMA ANTI-GUERRA, ANTI-NATO (PAGAN)

Constituída a 30 de Setembro de 2009, a Plataforma Anti-Guerra, Anti-Nato (PAGAN) é um movimento anti-militarista português integrado na campanha* internacional «No to War, No to NATO».

Motivada pela circunstância de a próxima cimeira da NATO se realizar em Portugal em finais de 2010, a PAGAN foi criada com o propósito de manifestar pública e pacificamente o desagrado com as políticas belicistas da NATO.

A PAGAN pretende também ser um veículo de informação sobre as alternativas anti-militaristas de que todos os cidadãos dispõem de forma a não compactuar com os interesses bélicos da NATO.

Este é um movimento aberto a todos aqueles que pretendam afirmar o seu repúdio pela guerra e pelas instituições que a representam e patrocinam.

*

Apelo acordado em Stuttgart, a 5 de Outubro de 2008

Não à guerra, não à NATO

Na ocasião do sexagésimo aniversário da organização militar da OTAN/NATO, fazemos um apelo a todas as pessoas a virem a Estrasburgo e a Kehl,  em Abril de 2009, para protestarem contra as políticas militares agressivas e nucleares da NATO e para afirmar a nossa visão de um mundo justo, livre da guerra.

A NATO é um obstáculo cada vez maior para alcançar-se a paz mundial. Desde o final da Guerra Fria, a NATO reinventou-se a si própria como uma ferramenta para a acção militar da “comunidade internacional”, o que inclui a promoção da chamada “guerra contra o terror”. Na realidade, trata-se de um meio para o uso da força, encabeçado pelos Estados Unidos, com bases militares em todos os continentes, eludindo as Nações Unidas e o sistema do direito internacional, acelerando a militarização e aumentando o gasto em armamento – os países da NATO representam 75% dos gastos militares mundiais. Aplicando um programa expansionista desde 1991, desenhado para alcançar interesses estratégicos e recursos, a NATO levou a cabo a guerra dos Balcãs, com o pretexto da chamada “guerra humanitária”, e tem mantido sete anos de guerra brutal no Afeganistão, tendo piorado a sua trágica situação e tendo a guerra se expandido ao Paquistão.
Na Europa, a NATO está agravando as tensões, alimentando a corrida aos armamentos com os chamados “mísseis de defesa”, um enorme arsenal nuclear, e uma política de primeiro ataque nuclear. A  política da UE está cada vez mais vinculada à da NATO. A expansão presente e potencial da NATO à Europa oriental e mesmo para além dela e as suas operações “fora de área” estão a fazer do mundo um lugar perigoso. O conflito no Cáucaso é uma clara indicação destes perigos. Cada avanço da fronteira da NATO aumenta a possibilidade de guerra, incluindo do uso de armas nucleares.

Para alcançar o nosso objectivo de um mundo de paz, rejeitamos as respostas militares às crises regionais e mundiais – estas são parte do problema, não são parte da solução. Recusamos viver debaixo do terror das armas nucleares e da nova corrida aos armamentos. Temos de reduzir os gastos militares – canalizando estes recursos para a satisfacção das necessidades humanas.

Devemos encerrar todas as bases militares estrangeiras. Opomo-nos a todas as estruturas militares utilizadas para intervenções militares. Devemos democratizar e desmilitarizar as relações entre os povos e estabelecer novas formas de cooperação pacífica para construir novas formas de cooperacão pacífica para construir um mundo mais seguro e justo.

Com este apelo pedimos a difusão da mensagem em teu redor e aos movimentos sociais para virem a Estrasburgo e a Kehl e fazer deste objectivo uma realidade.  Acreditamos que um mundo de paz é possível.

Não à guerra – Não à OTAN/NATO

 

Anúncios
27 comentários leave one →
  1. 03/10/2009 8:53

    Num mundo que se quer, deseja e exige-se livre, eu que sempre lutei contra qualquer organização mundial, regional ou local que tenha nos seus propósitos a opressão e subjugação dos povos, estarei na linha da frente no apoio ao PAGAN. Entretanto já coloquei nos meus blogs uma imagem e respectivo link da nossa plataforma.

    Abraço a todos

    # Ferroadas

  2. 03/10/2009 21:47

    Já está linkado no meu Blogue e coloquei a imaguem. Vamos divulgar.

    Abraço a todos.

    Isabel

  3. 24/11/2009 17:48

    Contem comigo!

  4. Pedro Carvalho permalink
    02/12/2009 2:21

    Boa noite

    realmente isso parece-me uma óptima ideia, quem não gosta de viver num mundo da paz??

    o real problema é que não se pode viver num mundo da paz, porque simplesmente vai sempre haver alguém para contradizer a paz, e se realmente acham que viver no mundo ocidental onde há NATO experimentem viver num país fundamentalista Islâmico onde nem poderiam ter este site.

    não digo que não seja um mundo bastante melhor onde não haja guerra porém, não vejo o porque de se por um fim a uma organização internacional simplesmente porque luta pelos interesses dos seus estados e pela sua própria segurança.

    No fundo no fundo isto é algo que aprendemos quando somos crianças… eu sempre tive uma pequena dificuldade em dialogar com os outros garotos quando eles traziam pedras e bastões nas mãos para nos bater… e pelo que me lembro do 11 de Setembro de 2001 os aviões não traziam faixas com inscrições a dizer “podemos dialogar?”

    Felicidades para o vosso movimento, só quis partilhar a minha opinião.

  5. Kris Elliot permalink
    03/12/2009 11:58

    Olá.

    Não partilho algumas das ideias exprimidas neste blogue, mas fico sempre satisfeito quando vejo as pessoas fazer bom uso da liberdade de expressão e associação que existe essencialmente nos países membros da NATO ou associados de uma ou outra forma a esta organização…

    Já que este movimento é novo, e que não parece ter publicado até agora um manifesto completo para além do tradicional “quem somos”, gostaria de saber se pretendem denunciar não só as guerras e outras acções belicistas da NATO – direito legítimo e por vezes fundamentado – mas também as guerras, muitas delas fratricidas, promovidas por outros estados ou movimentos (genocídios no Darfur, na RD Congo, guerras na Somália, na Caxemira, nas antigas repúblicas soviéticas, repressão chinesa contra os Tibetanos e os Uigures, regimes sangrentos na Birmânia, na Coreia do Norte …) ? Acredito que sim, porque constato por exemplo com agrado que o carro de combate representado no logótipo do site é de origem russa (T-55 ou T-62 ?).

    Se não é pedir demais, gostaria também de conhecer as soluções concretas que propoem para pôr fim a alguns conflitos que duram há demasiado tempo. Ex: apoiam a criação de um estado palestiniano viável, vizinho de Israel, dentro das fronteiras de 1967 ? O que fazer para acabar com a pirataria ao largo do corno de África, cujas principais vítimas são simples marinheiros ou viajantes, para além das populações locais ? Como sair agora do Iraque ou do Afeganistão sem que as populações locais venham a sofrer ainda mais com as prováveis ditaduras ou a anarquia subsequentes ? Apoiariam a progressiva re-orientação de parte dos recursos da NATO para operações humanitárias e acções de ajuda ao desenvolvimento ?

    Podemos não partilhar as mesmas opiniões, mas pelo menos da minha parte, todas as ideias são bem-vindas.
    Parabéns e sinceros cumprimentos de um provável “adversário” ideológico.

  6. 03/12/2009 20:55

    Kris,
    Venho responder-lhe em nome pessoal à sua simpática missiva enviada para o site «AntiNATO».
    Nós somos um grupo heterogéneo de pessoas (pertencentes ou não a organizações políticas) que têm um propósito limitado.
    A nossa plataforma não é nem pretende tornar-se um embrião de partido ou duma corrente política com um pensamento coerente sobre as questões pertinentes que aborda. Penso que se fizer a pergunta aos membros actuais desta plataforma, não irá obter uma coincidência total de pontos de vista, irá mesmo encontrar contradições entre nós.
    Temos de aceitar as diferenças para construir algo.
    Por isso, a «PAGAN» tem de ter uma definição muito lata.
    Somos contra a OTAN/NATO, por vermos que a NATO não corresponde às necessiades de defesa dos povos. É antes uma estrutura militarista, como expressão da super-potência dominante, triunfadora da guerra-fria, mas nem por isso mais «democrática» ou «humanitária» que a potência derrotada, porém apostada em servir de braço militar de uma ordem económica, social e política profundamente desigual, que tem feito perigar a paz, tem causado imensos sofrimentos em vários países que não ameaçavam nem a existência nem a segurança dos países aliados na NATO.
    Portanto, trata-se de compreender a inutilidade deste tipo de estrutura, que tem de desaparecer, pois contribui para o acender ou reacender das guerras ditas «étnicas», dos conflitos inter-nações, nunca contribuíndo para uma resolução justa dos mesmos. As soluções para o Iraque, o Afeganistão e para Israel/Palestina, têm de ser encontradas pelos próprios povos, ajudados pela comunidade internacional, mas sem ingerências. Embora este discurso pareça «ingénuo», a verdade é que civilizadamente apenas este se pode defender à luz do direito internacional.
    O que eu disse apenas me compremete a mim, não compromete a plataforma «PAGAN».

    Com os meus melhores cumprimentos.
    Manuel Baptista

  7. 10/12/2009 16:29

    Eu sou Anti Nato e anti qualquer outra organização cínica e hipócrita o suficiente para levar a guerra a outros países, utilizando a desculpa da liberdade e democracia…
    Contem comigo!

  8. 23/03/2010 0:24

    Olá a todos,estou bastante animada por ver que as vozes do povo se estão levantar,é pena ainda estarmos a falar “baixinho”..pois há muita “porcaria” para ser revelada,e podemos começar pela feita por Portugal.A NATO é uma Mafia e Portugal ajudou e muito á sua criação e crescimento.Por isso parece-me pertinente que se exija a retirada de Portugal da própria Nato,pois a sua entrada foi repeleta de mistérios,violações,corrupção e terrorismo.A verdade do que de facto se passou tem de ser revelada,pois as pessoas devem decidir depois de serem confrontadas com os factos.E é facto(embora as provas principais tenham desaparecido misteriosamente)que Portugal serviu de base para uma ala terrorista ao serviço da NATO.
    Não podemos falar de algo tão grave sem ir ao fundo e tentar revelar tudo.
    Apoio e estou vosso dispor para reunir factos evidentes sobre este tema,que promete ser polémico.
    Obrigado,até breve!

  9. Mário Pedro Caetano permalink
    01/07/2010 14:27

    Exmos. srs.

    Sou jornalista na agência Lusa e tenho marcado um serviço frente ao MNE, com um protesto da vossa organização contra a NATO. Venho solicitar um contacto vosso para entrevista, amanhã de manhã, durante a manifestação. Agradeço um nome e número de telefone para marcar onde e como vamos falar.
    Deixo os meus contatos.

    Grato,

    Mário Pedro Caetano – MPC – Jornalista
    Lusa – Agência de Noticias de Portugal
    Lusa – Portuguese News Agency
    Rua Dr. João Couto Lt. C – 1503-809 Lisboa
    Fixo: (00 351) 217116502 – 966828918
    mcaetano@lusa.pt

  10. Vasco Vaz permalink
    09/08/2010 17:09

    Caros amigos

    Tive conhecimento da vossa associação através de uma noticia publicada pelo DN. Todos os esforços na luta contra o imperialismo da NATO e outras “alianças” que fazem de nós estúpidos é sempre uma lufada de ar fresco. Publicitarei os vossos esforços sempre que possível. Como sugestão sugiro que no vosso “logotipo” (“Não hà Guerra … ) substituam o perfil do carro de combate por um em uso na NATO pois aquele que é exibido parece ser o de um “T-55 /T-62” do extinto Pacto de Varsóvia.

    Felicidades com o vosso trabalho.

  11. CortaOsPulsos permalink
    13/08/2010 21:18

    Sinceramente eu acho que nunca chegaremos á “paz mundial”. As pessoas não são todas iguais e há sempre contras. Mas concordo com este “movimento” anti nato.

  12. 16/08/2010 8:45

    Caros amigos,

    somos assíduos dos vossos posts no facebook. queremos igualmente informá-los de que destacámos um link (na coluna direita do nosso blogue http://amafiaportuguesa.blogspot.com) para o vosso facebook.

    bom trabalho, o vosso.

    cumprimentos,
    MP

  13. José Maria Pacheco da Silva permalink
    01/10/2010 13:09

    Muito bem!

    PAZ SIM, NATO NÃO!

  14. João F permalink
    11/10/2010 1:03

    Vocês são patéticos… estão a combater uma guerra que já perderam: o Pacto de Varsóvia já foi dissolvido, juntamente com a União, e o comunismo já só é praticado por meia dúzia de países de Terceiro Mundo insignificantes, e até esses poucos regimes restantes já estão a viver em tempo emprestado. Isto é inútil. Vocês perderam.

    • Rui Garcia permalink
      15/11/2010 17:38

      Caro João, com ou sem razão, os derrotados ficam em casa. Por outro lado, com ou sem vitória, os guerreiros vão para à “guerra”. Bom trabalho para todos…

  15. Carlos Alegria permalink
    03/11/2010 22:02

    Saúde amigos. Acho o vosso esforço nobre, porém, acho que estamos todos já tão enredados na teia da nova ordem mundial, que será preciso muito esforço para conseguir algo de positivo e visível. Bem, aqui para Lisboa podem contar já com as novas viaturas anti motim que o governo civil de Lisboa adquiriu por ajuste directo para essa cimeira que vai acontecer. Depois aproveitam-nas para reprimir possíveis manifestações e a revolta social que se avizinha se as coisas continuarem como até aqui.
    Boa sorte a todos

  16. Pedro permalink
    09/11/2010 18:05

    Acho muito bonito isto da paz mundial. Peço-a todos os anos ao pai natal!
    Sarcasmos a parte, o problema da paz no mundo é muito mas profundo que a NATO, é inerente á natureza do ser humano, e isso não vejo como se possa mudar. Não é com boa vontade de certeza!
    Dito isto, enquanto houver paises com más intenções, regimes de boa vontade duvidosa e outros que representam uma ameça concreta como o regime comunista da Coreia do norte fico contente do meu pais pertencer a uma aliança militar como a NATO, sinto-me mais seguro. “Having peace means having the bigger stick”.
    Ainda outra nota sobre os protestos contra a cimeira da NATO. Ouvi e li relatos de gentalha que vem prai armar confusão de caras tapadas e tal e tenho a dizer que se quiserem dar um tiro a cada um, podem mandar-me a factura das balas. Esses sim é que causam insegurança e ameaçam a paz!

  17. ydunay Varela permalink
    11/11/2010 22:04

    Forças Amigos,

    Todos juntos fazemos a força, não a guera paz sim.

    Quero fazer ser actvista da PAGAN

    solicito todas novas informações e como poder fazer parte deste grupo

  18. claudio permalink
    11/11/2010 22:33

    contem comigo

  19. Fofinho permalink
    18/11/2010 10:12

    Um ideia irritantes para estes palhaços seria colocar pela cidade vários pacotes suspeitos, de preferencias cheiros de matéria mal cheirosa. Para entreter o esquadrão anti-bomba…

  20. Filipe Duarte permalink
    20/11/2010 14:33

    Divulguei em todos as redes sociais que tenho a vossa mensagem, gostaria se possível participar tanto em termos de ideias como em todos os vossos projectos.

    Boa tarde a todos

  21. Barrocas permalink
    05/08/2011 22:09

    Paz conquistace com palavras nao com canhoes de gerra o com armas . Democracia e ema palavra que veio da Grecia e que quer dizer demos catro em latim que no nosso portugues actual quer dizer e o povo que desside .O Povo Nos !!! Nao Nato.isto nao quer dizer que democracia e o melhor sistema para o povo mas e a descolpa que a merda da NATO usa para matar pessoas inocentes em nome da democracia.para aqueles que penssao que a NATO faz um bom trabalho so espero que pencem nas criancas na Libia que tem que crescer com canhoes e balas e mortes em frente aus olhos .nao acredito que a pessoas que nao conceguem ver isso e ainda criticao aqueles que querem fazer algo .
    Nao a Nato .Paz e boa sorte para aqueles que merecem

  22. Joana Quaresma permalink
    19/09/2011 11:52

    Exmos. Srs.,

    Sou colaboradora no Jornal Universitário do Porto (JUP) e estou a realizar uma reportagem sobre a transferência da Strike Force da NATO para Portugal. Venho solicitar um contacto vosso para entrevista. Agradeço que disponibilizem um nome, um número de telefone e um contacto e-mail.

    Atenciosamente,
    Joana Quaresma.
    (Contacto: joquaresma@hotmail.com)

  23. 17/12/2011 18:07

    Olá, dou a conhecer o blog sem fins lucrativos http://documentarioscensurados.com.

    Aos autores deste blog, se poderem adicionem ao blogroll. Obrigado

  24. Bruno permalink
    22/04/2013 0:17

    Ser a fvor ou contra a NATO…não é uma decisão fácil..por um lado temos a NATO, um sistema imprialista, que usa a decepção, a mentira e aguerra como meios para atingirem os seus fins, sejam lucros ou idealistas, como criar a nona ordem mundial, com o poder global centralizado, nas maos das familias banqueiras. Por outro temos um mundo completamento dividido em todas as áreas politicas,culturais e religiosas, pronto para se matarem uns aos outros, nem que seja por uma frase antiislamica publicada num jornal.Para melhorar o mundo…o que fazer?Osgrandes da NATO e ONU acreditam que os seus meios justificam os fins porque vão erradicar a guerra e muitas outras coisas. Eu, por mim, acredito que seria possivel unir o mundo de outras formas menos violentas, demoraria mais, mas creio ser possivel…boa sorte com o movimento, é bom ver os portugueses interessados em politica global, e não num jogo de futebol…

Trackbacks

  1. Reiner Braun (ICC) no Porto a 14/Out: «O novo conceito estratégico da NATO» « AntiNato

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: