Skip to content

Jornal Mudar de Vida: apelo à manifestação unitária de 20 de Novembro contra a NATO

08/10/2010

Manifestação a 20 de Novembro

Contra a guerra e contra a NATO

 

Pedro Goulart – Quinta-feira, 7 Outubro, 2010 natolegalterror.jpg

 

A organização político-militar NATO, que há quase nove anos leva a cabo a criminosa guerra no Afeganistão em parceria com os EUA, vai realizar este ano uma cimeira em Portugal, nos dias 19 e 20 de Novembro. Aqui será discutido e votado o novo conceito estratégico da aliança belicista. O país, especialmente Lisboa, vai estar vigiado e cercado por terra, mar e ar, por militares e polícias. E, apesar da “crise”, para estes gastos não falta dinheiro!
Um eventual silêncio ou inacção da nossa parte face aos actuais crimes desta organização militar imperialista podem ser comparados aos silêncios e às inacções cúmplices do passado, de que foram responsáveis muitos portugueses quando confrontados com os crimes do fascismo salazarista e das guerras coloniais. Ou será que todos aqueles que hoje apoiam ou votam nos partidos da guerra são inimputáveis?
Logo que foi conhecida a concretização desta cimeira de Lisboa, começaram a desenhar-se e desenvolver-se algumas iniciativas e movimentos contra tal realização. De entre as iniciativas previstas, é de salientar a manifestação do dia 20 de Novembro, em Lisboa, pelas 15h, do Marquês de Pombal aos Restauradores.

Um dos movimentos então criados – a Campanha Paz Sim! NATO Não! – que promove a manifestação de Novembro e é apoiado por numerosas associações, considera a NATO uma organização militar agressiva, reclama das autoridades portuguesas o cumprimento das determinações da carta das Nações Unidas e da Constituição da República Portuguesa, em respeito pelo direito internacional e pela soberania e igualdade dos povos. Reivindica o fim das bases militares estrangeiras e das instalações desta aliança belicista em território nacional, assim como a retirada das forças portuguesas envolvidas em missões militares da NATO. Exige, também, o desarmamento, o fim das armas nucleares e de destruição maciça, e a dissolução da NATO.

Outro dos movimentos, a PAGAN – Plataforma Anti-guerra, Anti-NATO, que apela à participação dos activistas nesta manifestação, assume-se como uma plataforma com total autonomia face aos partidos políticos ou a quaisquer outras instituições e afirma-se como movimento aberto a todos os cidadãos que pretendam manifestar o seu repúdio pela guerra. Declara a sua oposição à cimeira da NATO, “onde os senhores da guerra − governantes dos países ditos ‘democráticos’ − tencionam definir uma nova estratégia de domínio de outras nações pela força das armas”, exige a dissolução da NATO, a retirada das forças portuguesas das missões militares desta aliança agressiva e reclama do governo português a adopção de uma política activa de defesa do direito internacional e da soberania dos povos.

Façamos da jornada de luta do 20 de Novembro uma grande manifestação unitária e combativa contra a NATO e os seus desígnios sanguinários e de opressão dos povos. É preciso dizer não aos governos criminosos, incluindo o português, que sob diversos pretextos enganadores, continuam a participar em guerras de agressão e ocupação de outros países. É preciso acabar com esta aliança militar criminosa.

in Jornal Mudar de Vida

Advertisements
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: