Skip to content

Governo paga 200 milhões de euros por cinco aviões em segunda mão comprados à Holanda

06/10/2010

O grande investidor Augusto Santos Silva satisfaz toda a tropa – um submarino para os marinheiros, aviões para os aviadores,  “pandur” para o exército e carros anti-motim para a polícia. Magnânimo, um mãos largas, um mecenas… COM O DINHEIRO QUE NOS SUBTRAI!!

E, num rasgo de grande ideólogo, anuncia, com antecipação, alguns dos novos riscos que a Nato vai incluir no seu novo conceito estratégico de guerra

Parabéns ao Augustus SS

O Estado português pagou à Marinha de Guerra Holandesa quase 200 milhões de euros pela aquisição e modernização de cinco aviões P3C Cup+ para equipar a Esquadra 601 “Os Lobos” da Força Aérea Portuguesa (FAP) que operava desde 1988 com 6 aeronaves P-3P adquiridas à Força Aérea Australiana. Até Março de 2011 apenas um dos novos aviões estará operacional.

Os aviões foram hoje apresentados por Augusto Santos Silva

O ministro da Defesa, Augusto Santos Silva, durante uma visita à Base Aérea de Beja, onde apresentou o novo avião, justificou o “vultuoso” investimento com a necessidade de executar missões de luta anti-submarina, patrulhamento marítimo, busca e salvamento, vigilância terrestre, controlo de tráfico de droga e redes de imigração clandestina.

Santos Silva fez ainda referência às missões que as forças armadas portuguesas executam no estrangeiro e que requerem a disponibilização de meios à altura das exigências que as intervenções impõem.

Em 2005, Portugal adquiriu à Marinha de Guerra Holandesa cinco aeronaves P3C, por 80 milhões de euros. Os restantes 120 milhões foram o preço a pagar pela sua modernização que transforma a frota dos P3C “numa das mais avançadas do mundo”, destaca um comunicado da FAP.

Ao comentar este encargo, Santos Silva, enquadrou-o nas restrições que o país está a suportar que classificou de “excepcionalmente fortes”. O processo de modernização da FAP não se restringe aos aviões P3C. Santos Silva lembrou o investimento de quase 500 milhões de euros que estão a ser aplicados na modernização dos F-16; na aquisição de 12 aviões C-295 (neste momento a FAP dispõe de 9 destas aeronaves) que vieram substituir os Aviocar e de 12 helicópteros EH 101. Também os aviões Hércules C-130 vão estar sujeitos a um processo de modernização e já se analisa a sua futura substituição.

Ao todo mais de 1500 milhões de euros vão ser investidos no programa de modernização da FAP. “ Pouco mais de um terço” deste montante será aplicado “até ao final de 2010” salientou o ministro da Defesa, para assinalar que o país está “ no tempo das ideias claras e das opções ao ritmo do possível”. Santos Silva acredita que este processo se traduza na “ dinamização da nossa economia” através da fabricação industrial de alguns dos novos equipamentos militares, destacando os P3C como “ um bom exemplo”. Das 5 aeronaves adquiridas à Holanda, duas foram modernizadas na Lockheed Martin e as restantes vão ser equipadas nas Oficinas Gerais de Material Aeronáutico com novas redes de informações, vigilância e reconhecimento, e dotados de sistemas para a guerra anti-submarina e anti-superfície.

O P3C alcança uma velocidade máxima de 750 quilómetros, e uma altitude próxima dos 10 mil metros. Tem uma autonomia de 12 horas e pode operar em condições de tempo adversas, de noite e de dia.

06.10.2010 – 16:10 Por Carlos Dias (Público)

Advertisements
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: